Veja os cuidados que se deve tomar ao contratar empréstimos para empresas

Qualquer que seja o ramo que se escolha para empreender, este demandará um determinado montante de capital. Até mesmo quando se planeja investir em uma empresa de terceiros, este valor investido deve de alguma forma ser levantado. Em boa parte dos casos, o empréstimo é visto como uma das saídas mais fáceis para solucionar tal questão.

Tomar empréstimos, segundo apontam especialistas, deve ser um ato pensado com o devido critério, uma vez que isto pode auxiliar com que o empresário não se endivide em seus negócios. É preciso, antes de tudo, realizar o devido planejamento acerca dos andamentos da empresa, a fim de que se tenha estimativa sobre o retorno do capital emprestado, apontam entendedores do assunto.

Rafael Ramos, que atua como economista na Federação do Comércio de Pernambuco, o empréstimo não deve ser feito de modo indiscriminado por quem deseja abrir determinada empresa. Segundo ele, há um enorme risco de que o empreendedor contraia uma dívida que não será benéfica para a saúde da organização que está surgindo. Isso, conforme explica o profissional, se deve geralmente pela falta de planejamento e inexperiência em questões dessa natureza.

Embora empreendedores de todos os níveis possam perceber determinadas dificuldades no que se refere às finanças, os de primeira viagem costumam sofrer mais, uma vez que ainda não experimentaram situações de dificuldade dentro da empresa. Assim sendo, recomenda-se que se abra o negócio somente após se dispor de um capital próprio para isso. Além disso, é imprescindível que haja um plano de negócios bem elaborado, que norteará o empresário em sua trajetória.

Para os empreendedores que planejam realizar empréstimos com o intuito de operar melhorias em seus negócios, há a recomendação de se avaliar se isto trará de fato benefícios para empresa. Desse modo, é imprescindível que se faça um levantamento acerca da quantia que será emprestada em detrimento das necessidades que são demandadas.

Caso o empréstimo seja realmente necessário para estabilizar as contas da empresa, o analista do Sebrae de Pernambuco, João Albuquerque, indica que se deve pesquisar antes de se efetuar a transação. Com isso, pode-se conseguir melhores condições para quitar as dívidas.

Saiba mais:

https://revistapegn.globo.com/Administracao-de-empresas/noticia/2018/11/credito-que-cuidados-o-empreendedor-deve-ter-antes-de-pedir-um-emprestimo.html

Unicamp destinará 20% das vagas do Enem para acesso sem vestibular.

Boas notícias para os estudantes que almejam uma vaga na universidade. A nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2018 será usada por mais instituições de nível superior como critério de seleção.

Entre elas está a Unicamp (Universidade de Campinas), que deve destinar 20% das vagas para os alunos com boas notas no Enem 2018 sem a necessidade de prestar o vestibular tradicional da instituição. Considerada uma das mais importantes universidades do país, a Unicamp demonstra que outras instituições possam fazer o mesmo e utilizar o Enem como processo seletivo.

Vagas para universidades de Portugal

O Enem já permite que os brasileiros possam estudar em Portugal. Mais de 30 universidades portuguesas, atualmente, possuem convênio com o Inep – Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. De acordo com um estudo realizado pela entidade, mais de 1200 estudantes brasileiros já estão matriculados por meio da nota obtida no Enem.

Resultados só em janeiro

Está prevista para 18 de janeiro a divulgação preliminar dos resultados individuais. Além de tentarem uma vaga direta como no caso da Unicamp, os estudantes podem utilizar a nota para se inscrever no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) para concorrer a uma vaga em universidades federais de todo o país;

O ProUni (Programa Universidade para Todos) para concorrer a vagas em faculdades particulares, contudo também é levado em conta a renda familiar do candidato;

Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), em que o estudante financia a matrícula e as mensalidades, com juros baixos que outros financiamentos e prazo para pagamento mais longo. Podem participar quem fez qualquer edição do Enem a partir do ano de 2010.

O Enem

Criado em 1998, o Enem passou por grandes reformulações e hoje é tido como o principal vestibular do país. O intuito é avaliar o desempenho dos alunos do ensino médio.

A versão atual passou a ser aplicada em 2009, a qual teve o aumento no número de questões e aplicação da prova para substituir o antigo vestibular. O exame ocorre uma vez por ano e tem a duração de dois dias. É composto de 180 provas objetivas e a redação.

Dinossauros vegetarianos se alimentavam de moluscos, de acordo com pesquisadores

Pesquisadores que estudam fezes fossilizadas de dinossauros datadas de 75 milhões de anos, descobriram que pelo menos alguns dinossauros comedores de plantas também comiam frutos do mar.

Os cientistas envolvidos na pesquisa descobriram restos de crustáceos em excrementos de dinossauros. As notícias sobre a descoberta revelam que os grandes dinossauros comedores de plantas, como os hadrossauros, podem ter hábitos alimentares muito mais complexos do que geralmente acreditamos. “Precisamos refinar nossas presunções sobre dietas de dinossauros”, disse a líder da pesquisa Karen Chin, paleontologista da Universidade do Colorado em Boulder.

Os cientistas que estudam as criaturas do passado tipicamente olham para os ossos que esses animais deixaram para trás. Embora os ossos revelem muito sobre a forma de um animal, eles não apresentam muita informação sobre como um animal realmente interagiu com seu ambiente. Um bom exemplo disso seria como esse animal se encaixaria na complexa cadeia alimentar de seu ecossistema.

É por isso que o cocô de dinossauro é uma jóia preciosa do paleontólogo. Quando preservado nas condições ambientais corretas para se tornar um fóssil, pode revelar um pouco sobre o que um dinossauro estava realmente comendo. Os paleontólogos têm até uma palavra especial para cocô fossilizado: coprólitos.

“Evidências diretas de dieta no registro fóssil são muito raras”, disse Chin. “Normalmente somos forçados a confiar apenas nos ossos, então estudamos os dentes e a mandíbula. Quando encontramos coprólitos como esses, eles fornecem uma perspectiva diferente sobre a dieta.”

Estes coprólitos em particular foram descobertos no sul de Utah na formação Kaiparowits do Monumento Nacional Escadaria-Escalante. Eles estavam escuros, um sinal de que tinham sido preenchidos com madeira podre.

Os pesquisadores puderam dizer que a madeira estava apodrecendo antes que os animais a comessem. Isso significava que um material resistente nas paredes das células da madeira havia sido quebrado por fungos. Quando a madeira se quebra com a ajuda de cogumelos, seus açúcares complexos são liberados e podem então ser processados por animais.

Embora possa parecer estranho que um comedor de plantas coma pedaços de árvores podres, isso não está totalmente fora de questão, disse Chin. Um esterco de dinossauro semelhante contendo madeira semelhante também havia sido encontrado em Montana, a cerca de 1.600 quilômetros de distância do local de Utah.

Um achado ainda mais estranho que a madeira eram os pedaços de marisco. Os pesquisadores descobriram fragmentos do que parecia ser crustáceo em 10 dos 15 espécimes que eles estudaram. Eles não têm certeza exatamente de que espécies esses crustáceos podem ser.

Um espécime cheio de pedaços de crustáceos poderia ter sido um acaso, mas Chin e outros pesquisadores encontraram o esterco cheio de conchas sobre três níveis diferentes de rocha. Cada nível de rocha representa a passagem do tempo. Isso significa que o comportamento alimentar persistiu ao longo do tempo, talvez períodos de tempo muito longos.

Pagamentos com cartões somaram R$ 720 bi no primeiro semestre de 2018

A Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) divulgou novos dados sobre o uso de cartões de crédito no Brasil. De acordo com a associação, houve um aumento de 14% na utilização de cartões de crédito como forma de pagamento nos primeiros seis meses deste ano. Esse reflexo positivo na economia foi sentido em todo o setor de crédito, onde houve diversas reduções das taxas cobradas pelos lojistas de todo o país.

As notícias sobre a indústria de meios de pagamentos ainda revelaram que os pagamentos realizados com cartões dos tipos crédito e débito somaram um total de R$ 720 bilhões no período que vai de janeiro a julho deste ano. De acordo com a associação, esse número representa um aumento de 13,6% no primeiro semestre em comparação com o ano passado.

Em relação as categorias, a associação destacou que as compras realizadas com cartões de crédito tiveram um crescimento de 14% neste primeiro semestre, o que somou um total de R$ 450 bilhões de operações realizadas entre janeiro a julho deste ano. Já em relação aos pagamentos realizados com cartões de débito o total de operações realizadas no primeiro semestre contabilizou R$ 265,4 bilhões. Esse valor aponta um crescimento significativo de 12,3% em comparação com o ano passado.

Sobre a utilização desses dois tipos de cartões, a associação informou que o cartão de crédito foi utilizado em 4,4 bilhões de compras realizadas pelos brasileiros, enquanto que o cartão de débito somou um total de 4,3 bilhões de transações no primeiro semestre de 2018. Os cartões de crédito pré-pagos ainda contabilizaram um total de 69,6 milhões de compras realizadas.

De acordo com a associação, um dos motivos que impulsionou esse aumento da utilização de cartões como meio de pagamento é a busca por meios eletrônicos mais práticos que o dinheiro e o cheque. Dentre o consumo das famílias, os dados apontaram que houve um crescimento de 2,3 pontos em relação a utilização de cartões como meio de pagamento a cada ano. No total, esse crescimento é de 34%.

O presidente Fernando Chacon da Abecs revelou sobre os novos dados: “Essa é a maior taxa anual de crescimento da utilização de cartões como meio de pagamento dentro dos últimos quatro anos”. De acordo com Chacon, em 2014 esse mesmo índice de crescimento foi registrado em 14,8%.

Guilherme Paulus esboça intenção de lançar empreendimento hoteleiro em São Paulo

Ao que tudo indica, o empresário Guilherme Paulus abrirá as portas de mais um empreendimento hoteleiro. Ele, que é conhecido em razão de atuar na CVC e no grupo GJP, tem o objetivo de construir um novo hotel, desta vez em São Paulo, na Avenida Cidade Jardim. O local, que é rota de muitas pessoas diariamente, foi escolhido de modo estratégico para isso. Segundo uma notícia veiculada pelo Portal Terra, há planos de que até 2021 a construção do espaço já tenha sido finalizada.

Além dos apartamentos, que poderão ser totalizados em até 65 unidades, a área construída não se destinará apenas à habitação, uma vez que possuirá espaço gastronômico, locais para lazer e eventos. Mesmo com o fato do empresário não ter uma posição definitiva acerca da bandeira que classificará o hotel, sabe-se que Guilherme Paulus tem a intenção de lançar uma nova marca em seus empreendimentos. A construção em São Paulo, por sua vez, seria a primeira do grupo na região sudeste, mas também se espera que o Rio de Janeiro seja escolhido para um futuro lançamento do gênero.

Assim como administra negócios de ordem hoteleira, o GJP se encarrega de gerir diversas outras fases dos empreendimentos. Assim sendo, a companhia de Guilherme Paulus atua nos ramos de incorporação e construção de imóveis variados. Quanto às atividades em hotéis, a organização passou a atuar ainda no ano de 2005, época em que ainda não existiam todas as 14 unidades da atualidade. O luxo, contudo, é uma das características presentes em boa parte das construções administradas pela incorporadora.

Se nos dias atuais o empresário é lembrado por sua rede de hotéis, até pouco tempo atrás sua imagem era fortemente associada à CVC Turismo. Inaugurada por Guilherme Paulus ainda nos anos 1970, em Santo André, a operadora turística possuía estrutura bastante simplificada, se comparada com a que se verifica nos dias atuais. Com o passar do tempo, os negócios da empresa passaram a tomar uma forma mais robusta no mercado, até atingir a clientela de maneira mais ampla.

Em 2009 o Carlyle Group realizou a compra da CVC Turismo. Apesar de o comando ter mudado de mãos, o empresário ainda continuou integrando o Conselho de Administração presente na organização. Em 2013 foi a vez de a empresa oficializar, na bolsa de valores, a abertura de seu capital, representando uma das modificações mais profundas na maneira da companhia se relacionar com seus sócios.

Cerca de 400 unidades em shoppings de todo o país compõem a nova realidade da CVC. Com isso há a estimativa de que o faturamento siga um crescente aumento nos próximos anos. A companhia espera que os investimentos adotados consigam ser convertidos em um retorno financeiro de cerca de R$ 5 bilhões, ao longo dos próximos anos. O montante elevado que se espera alcançar, segundo a reportagem, encontraria sua origem também pelo fato do grupo ter firmado parceria com redes de supermercados. Estes, por sua vez, totalizariam mais 140 pontos de negociação turística.

Mesmo sendo reconhecido pela presença no mercado turístico, o empreendedor transitou brevemente pela área da aviação civil. Dessa maneira, em 2006 ele comprou uma companhia aérea de pequeno porte: a Webjet. Sob sua administração, entretanto, esta ficou apenas cinco anos. Depois desse período, ele achou oportuno realizar sua venda para a Gol, movimentando grande capital.

Carlos Alberto de Oliveira Andrade fez do CAOA a incrível companhia que é hoje

Carlos Alberto de Oliveira Andrade descreveu a si mesmo como pessoa tão ambiciosa em seus negócios que, nos primeiros dias de seus negócios, ele maximizava qualquer oportunidade de comercializar seus negócios com muita confiança. Essa atitude contribuiu imensamente para o crescimento de seus negócios.

 

Carlos Alberto de Oliveira Andrade Ele é conhecido por ter excelentes habilidades de liderança, ele conseguiu se tornar um homem de negócios excepcional porque está sempre se esforçando para melhorar. Isso é o que ele usou ao longo dos anos para permanecer no topo do jogo. Ele trabalhou duro para estabelecer um segredo para o sucesso que outros não conseguiram descobrir. Ele dominou a dinâmica do investimento. Segundo ele, o investimento deve sempre considerar-se inovador porque o futuro dos negócios é a tecnologia avançada. Carlos Alberto de Oliveira Andrade pode ser melhor descrito como um empreendedor com excelentes qualidades de liderança e chefe das melhores empresas de sucesso.

 

Carlos Alberto de Oliveira Andrade nasceu no Brasil e é um médico que praticava medicina há muitos anos. Quatro décadas atrás, ele decidiu fazer uma mudança e foi trabalhar para o CAOA. Ele agora serve como presidente do conselho de administração da empresa. O grupo CAOA foi criado quando o Dr. Carlos pagou por um carro em uma concessionária de carros, mas nunca teve o carro entregue a ele porque a concessionária faliu. Em troca, ele propôs que a concessionária lhe fosse dada para compensar a entrega do carro a ele. Isso funcionou e, em cerca de meia década, sua concessionária tornou-se a maior concessionária da Ford em seu país.

 

Quando veículos importados começaram a entrar no Brasil, Carlos Alberto de Oliveira Andrade reagiu ao se tornar o único importador da franquia Renault, que é uma montadora francesa. A marca do carro rapidamente se tornou o carro importado no Brasil. Alguns anos depois, conforme o contratepalestras.com.br , o CAOA começou a importar Subarus para o Brasil e aumentou as vendas da marca em três vezes. Carlos Alberto de Oliveira Andrade também tornou popular a Hyundai no Brasil e, em 1999, seu modelo de Tucson era um dos mais vendidos no país. Em 2007, ele fez uma parceria com a Hyundai para construir uma fábrica da Hyundai no Brasil, a primeira do gênero no país.

 

Carlos Alberto de Oliveira Andrade sempre trabalhou para melhorar o meio ambiente em seu país, e em 2010, o CAOA montou um programa para reutilizar resíduos de sua fábrica onde os veículos estavam sendo produzidos para ajudar nos esforços de reflorestamento. O CAOA ganhou o prêmio “Good doer Company” e foi reconhecido como a empresa “Mais Admirada” por três anos pela revista Carta Capital. Carlos Alberto de Oliveira Andrade também recebeu o prêmio “Distribuidora do Ano” em 2012, que lhe foi entregue pela controladora da Hyundai. Ele era o distribuidor que não chamava a Europa de sua casa para receber o prêmio. O CAOA ficou em primeiro lugar em vendas pela pesquisa anual de satisfação da JD Power Institute em 2014 e voltou a ganhar o prêmio em 2017.

Guilherme Paulus, do grupo GJP, planeja construir hotel em São Paulo

O empresário Guilherme Paulus, atual chairman do grupo GJP e conselheiro da CVC Corp, tem em seus planos a construção de mais um hotel. O local adotado para que a unidade hoteleira seja construída é a Avenida Cidade Jardim, uma das mais conhecidas da capital paulista. A estimativa é de que a inauguração ocorra até o ano de 2021, conforme informa uma reportagem publicada pelo portal de notícias Terra.

Dentre o que poderá haver no local, espera-se que este conte com 65 apartamentos, restaurante, área própria para eventos e rooftop. A bandeira que será adotada para classificar o hotel ainda não foi escolhida, mas sabe-se que Guilherme Paulus planeja a criação de uma marca inédita no grupo. Além do empreendimento na cidade de São Paulo, o empresário estaria também planejando estender o novo estilo hoteleiro para o Rio de Janeiro.

Vale ressaltar que o grupo do qual Guilherme Paulus faz parte, o GJP, é responsável por controlar negócios de natureza hoteleira e outros em que demandam serviços de construtora e incorporadora. Em relação ao segmento hoteleiro, a corporação iniciou suas operações no ano de 2005, quando ainda possuía apenas um dos 14 hotéis existentes. Já os negócios que envolvem a construção têm a peculiaridade de contemplar empreendimentos de luxo, onde há fluxo intenso de hóspedes. Dessa forma, as duas vertentes da organização acabam convergindo em diversos empreendimentos já realizados.

A CVC Turismo, por sua vez, é um outro empreendimento de Guilherme Paulus. Nesse caso, contudo, sua inauguração ocorreu ainda no início da década de 1970, de forma modesta em Santo André. Após décadas de operação no segmento turístico, e empresa foi tomando a forma que possui nos dias atuais, representando um expressivo empreendimento dentro do país. A maneira de funcionamento da organização também foi se modificando com o passar do tempo, a fim de que se adequasse às demandas da clientela.

Mesmo após vender a CVC a um grupo internacional, o Carlyle Group, no ano de 2009, o empresário não deixou de agir na companhia. Desse modo, ele permaneceu por um período respondendo pela presidência do Conselho Administrativo da companhia. Segundo pontuou a matéria, um dos primeiros atos relevantes para a empresa foi a ocasião em que a organização decidiu abrir seu capital perante a bolsa de valores. Tal acontecimento se deu depois de 4 anos em que a nova diretoria assumiu o controle.

O crescimento anual da CVC Turismo segue uma tendência de aumento de 2 dígitos em seu capital. Dentre os planos da nova administração, está a expansão para um total de 100 localidades em todo o país, o que geraria mais de R$ 5 bilhões em faturamento por ano. Na atualidade, a operadora possui unidades em 400 shoppings brasileiros. Além disso, os supermercados também são contemplados com a presença de 140 galerias de ordem comercial.

A aviação foi outra área em que o empresário atuou, ainda que de modo breve se comparado com os seus demais empreendimentos. No ano de 2006 ele adquiriu a Webjet, que na ocasião operava com uma única aeronave. Após cinco anos, a companhia aérea havia se expandido, foi então que o empreendedor decidiu vende-la para a Gol. Embora possua uma rotina bastante atarefada, ele reserva tempo para também a atuar em projetos de ordem social, sobretudo voltados para a profissionalização de jovens carentes.