Guilherme Paulus conta sobre a sua carreira de sucesso no mundo dos negócios

Sucesso no mundo dos negócios do ramo de turismo, Guilherme Paulus, que hoje é presidente do Conselho Administrativo da CVC, deu dicas para quem quer prosperar e investir bem. Com mais de 40 anos de experiência, o empresário, que tem mais de R$ 1,9 bilhão em sua fortuna, alerta que para começar é preciso acreditar no que faz.

Para Paulus, quando o objetivo é bem definido e o empreendedor acredita fielmente no que está fazendo, o retorno chega. Claro, que tudo isso demanda tempo, perseverança e trabalho árduo. Pelo menos para Paulus foi assim.

Na década de 70, quando tinha pouco mais de 20 anos, ele focou todas as suas formas e horas do dia na sua primeira empresa. Nascia, na cidade de Santo André, em São Paulo, a CVC.

Os primeiros clientes conquistados foram os trabalhadores das indústrias do ABC paulista. Ele fazia excursões rodoviárias para esse público. Por dois anos, Paulus contou também com a ajuda de um sócio, que desistiu do empreendimento, antes de ele prosperar.

Sozinho, Guilherme Paulus seguir em frente, investiu, ampliou os destinos e os estilos de viagens e transformou a CVC na maior agência de viagens da América Latina.

Ele revela que esse crescimento só veio com a inovação. O jovem empresário decidiu oferecer o que seus concorrentes ainda não ofertavam. Hotéis melhores foram o ponto de partida, seguidos de parcelamento dos pacotes de viagens e chegando ao ponto em que fretou aeronaves para voos internacionais.

É por isso que ele diz que, o empresário que quer prosperar, precisa estudar o mercado e trabalhar para se destacar no meio. A dica de Paulus é oferecer o que o concorrente não tem.

Outro ponto que ele destaca, para quem quer prosperar no mundo dos negócios, é aprender a trabalhar com os imprevistos. Mesmo em uma empresa sólida, como a CVC, eles acontecem diariamente.

Para lidar da melhor forma com eles, Guilherme Paulus diz que é preciso conhecer bem e acompanhar a empresa em todos os seus detalhes. Assim estará preparado para resolver problemas. “ A vida é uma eterna competição”, destaca o empresário.

Para Guilherme Paulus, sucesso é uma soma de inspiração e trabalho

Com a sua história inspiradora, de menino de 22 anos que transformou um pequeno empreendimento no maior da América Latina em seu setor, Paulus tem bagagem suficiente para falar sobre o caminho até o sucesso. Com seus mais de 40 anos de experiência, ele diz que a inspiração é importante, mas participa apenas em 10% do progresso da empresa. Os outros 90% são preenchidos com trabalho árduo e incansável.

Para prosperar, é preciso errar pouco e se destacar pelos acertos. Quem quer isso precisa dominar o setor e compreender os clientes, segundo o empresário. Para isso, ele sugere que o feedback do consumidor, dado através das redes sociais, seja sempre avaliado e levado em conta.

Além disso, Guilherme Paulus enfatiza que não importa o tamanho do negócio, o empresário terá dificuldades! Foi assim com a CVC, quando ele não conseguia terminar o ano com a conta no azul e, por muitas vezes, tinha dificuldade em antecipar o pagamento da reserva em hotéis.

Nessa época, Paulus conta que um amigo chegou a sugerir que ele fechasse a CVC, mas ele não desistiu e o sucesso veio.

Leia também: https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/hotelaria/guilherme-paulus-elogia-lummertz-e-se-mostra-confiante-com-novo-ministro/

Como escrever um plano de negócios

Descreva a estratégia de marketing e como pretende impulsionar a economia e as vendas. Inclua estratégia de penetração de mercado, estratégia de crescimento, estratégia de distribuição e estratégia de comunicação. Estratégias de vendas também devem ser incluídas para fornecer informações sobre a equipe de vendas e atividades.

Linha de Produtos ou Serviços. Descreva aos leitores o que você está vendendo e como o produto ou serviço beneficiará clientes atuais e potenciais. Forneça evidências de que sua empresa oferece um produto ou serviço que serve como solução para um problema identificado por seu mercado-alvo. Informações sobre serviços ou custos de produtos, fornecedores e quaisquer novos serviços que possam ser adicionados devem ser incluídos nesta parte.

Solicitação de financiamento. Inclua os requisitos de financiamento atuais e futuros, como esse financiamento será usado e as estratégias de longo alcance que afetam a solicitação de financiamento. Quaisquer fatores que afetam diretamente sua capacidade de pagar seu empréstimo devem ser incluídos, como aquisições, venda do negócio no futuro ou uma compra.

Finanças. Tanto os dados financeiros passados ​​como os dados financeiros prospectivos serão exigidos pelos potenciais credores. Inclua as seguintes demonstrações financeiras nos últimos três a cinco anos; demonstrações de fluxo de caixa, balanços e demonstrações de resultados. As mesmas declarações devem ser preparadas com dados previstos para os próximos cinco anos.

Apêndice. Uma seção separada que não deve ser incluída no corpo principal do plano de negócios é o Apêndice. Informações proprietárias e confidenciais podem fazer parte do apêndice e, como tal, não devem ser facilmente acessadas por todos os indivíduos que solicitam seu plano de negócios. Os credores podem precisar acessar essas informações, portanto, devem estar disponíveis conforme a necessidade. Os documentos que podem ser incluídos no apêndice incluem detalhes do estudo de mercado, cartas de referência, histórico de crédito pessoal e comercial, patentes, permissões, contratos e informações de contato para consultores.

Como você pode ver, escrever um plano de negócios requer um compromisso de tempo e recursos para garantir que todas as informações relevantes estejam presentes. Um documento crucial para garantir o financiamento de credores e investidores, o plano de negócios deve ser bem organizado com foco em pontos fortes específicos que diferenciam o seu negócio da concorrência.

Parar de trabalhar está longe dos planos do bilionário brasileiro Guilherme Paulus

No início da década de 70, a CVC, então pequena agência de viagens da cidade de Santo André no ABC Paulista, lutava bravamente para manter-se de pé em meio às adversidades financeiras e conjunturais. As significativas dificuldades enfrentadas por aquele negócio, ainda incipiente, apontavam naturalmente para um fim precoce. Atualmente, a CVC Viagens se consolidou como a maior operadora de viagens da América Latina e trafega entre as 10 maiores do mundo. O nome por trás dessa trajetória de superação e sucesso é, sem sombra de dúvidas, Guilherme Paulus.

O crescimento impressionante experimentado pela CVC, nas quatro décadas seguintes, deveu-se, em grande parte, à resiliência e capacidade de inovação. No princípio, o negócio encontrou expressiva demanda entre os trabalhadores das indústrias instaladas na região do Grande ABC que buscavam soluções para turismo e transporte rodoviários. Nesse período, Guilherme Paulus percebeu uma grande oportunidade mercadológica e ampliou o seu portfólio. A CVC inovou e foi a pioneira a oferecer o parcelamento de pacotes aéreos a seus clientes. Essa nova estratégia rendeu resultados extraordinários. A esfera de atuação da empresa não parou de crescer e estendeu-se a pacotes terrestres, marítimos e aéreos. Ainda, em 1989, a empresa chamou a atenção do mundo dos negócios ao adquirir 100 mil passagens aéreas da Vasp. Esse plano de aquisições estabeleceu os alicerces para que a CVC, mais tarde, realizasse o fretamento de aeronaves. Em 1997, pacotes para a Europa e Ásia passaram a ser comercializados, consolidando a internacionalização da empresa.

Hoje, o faturamento anual da CVC supera a casa dos bilhões. Mais de 900 lojas estão distribuídas em todo o território nacional. No ano de 2009, o controle da empresa foi transferido para a americana Carlyle pela bagatela de 1 bilhão de reais. Com esse montante, Guilherme Paulus poderia desfrutar de uma aposentadoria perpétua muito confortável. No entanto, tendo em vista sua importância e influência nas operações do negócio, o empreendedor preferiu continuar como Presidente do Conselho Administrativo da CVC.

O empresário Guilherme Paulus parece incansável e permanece inabalável na construção de um império. Atualmente, é o dono da gigantesca rede hoteleira GJP, controladora de bandeiras internacionalmente reconhecidas como a Wish, Prodigy e Linx. A depender do ímpeto do empreendedor, seu nome constará indefinidamente na lista de bilionários da FORBES Brasil.

O empresário Guilherme Paulus nunca escondeu as diretrizes que o conduziram ao sucesso. Para ele, além de objetivo bem delineado e definido, é fundamental que o empreendedor acredite no negócio e que conheça plenamente sua plataforma de atuação. Paulus assegura que a capacidade para lidar com imprevistos e a constante atualização são ferramentas imprescindíveis num ambiente competitivo. Outra diretriz recomendada se associa à manutenção da qualidade do departamento de vendas. Prestar atendimento personalizado pode compensar as facilidades oferecidas pela internet segundo o empresário.

A incrível história de Paulus lhe rendeu incontáveis reconhecimentos por parte de instituições públicas e privadas. O governo de Minas Gerais conferiu ao empresário a Medalha de Honra Presidente JK. Dentre os vários títulos concedidos, se destacam o de “Personalidade do Ano” (2003, 2004 e 2005) pela publicação Viagem e Turismo e o de Empreendedor do Ano (2017), na categoria serviços, pela revista IstoÉ Dinheiro.

 

https://www.terra.com.br/noticias/dino/conheca-o-empresario-guilherme-paulus-e-seu-estilo-de-atuar,987faeb8b0acd176c397dabb78c37ca5oia3wj4c.html

Telescópio canadense encontra misteriosos sons de rádio vindos do espaço

Um novo radiotelescópio canadense, ainda não totalmente operacional, já detectou mais de uma dúzia das rápidas explosões misteriosas vindas do espaço profundo, conhecidas como rajadas de rádio rápidas (FRBs). Anteriormente apenas um evento parecido foi observado, relatam os pesquisadores na reunião anual da American Astronomical Society. Os primeiros resultados do Experimento Canadense de Mapeamento da Intensidade de Hidrogênio (CHIME) sugerem que o escopo está a caminho de adicionar centenas ou mesmo milhares de FRBs aos cerca de 60 já conhecidos – revelando a fonte desses poderosos pulsos de milissegundos no processo.

“Isso realmente aponta para o fato de que o CHIME está destinado a revolucionar o campo de FRBs”, diz Sarah Burke-Spolaor, da Universidade de Virginia, que não esteve envolvida na pesquisa.

Conforme as notícias do mundo científico, FRBs são um dos tópicos mais discutidos da astronomia. Os pesquisadores não querem apenas descobrir o que são, eles também querem usá-los para coletar informações sobre o assunto que reside nos vastos alcances entre as galáxias. À medida que viajam pelo espaço profundo, os pulsos FRB se espalham por todos os elétrons que encontram, revelando informações sobre a densidade do meio intergaláctico. Isso seria uma contribuição valiosa para os modelos da estrutura em larga escala do cosmos. “FRBs poderia ser uma boa maneira de entender a evolução do nosso universo”, diz Vishal Gajjar, da Universidade da Califórnia, Berkeley, também não é membro da equipe do CHIME.

Os astrônomos começaram a levar as FRBs a sério quando, no início desta década, as equipes descobriram que os pulsos vinham de galáxias distantes. Essa descoberta baseou-se na estrutura dos próprios pulsos: Entre as frequências que os compõem, os fótons de maior comprimento de onda ficam atrás dos mais curtos. A quantidade de atraso em um pulso que chega é muito grande para o FRB ser de uma fonte dentro da Via Láctea. Anteriormente, alguns cientistas achavam que eventos explosivos em nossa galáxia, como fusões de supernovas ou de estrelas de nêutrons, poderiam ser responsáveis pelas explosões. Entretanto, apesar de muitas teorias (cerca de 47), o que gera FRBs ainda é um mistério para a comunidade científica.

Corretora de seguros oferece franquia para loja ou home office

Nesse ano de 2019, começar um novo negócio é um motivador para mudar a vida acompanhando a renovação do ano. Existem diversas formas de investir, entre elas está a franquia. Existem muitas opções, se identificar com uma a franquia é importante para o empresário conseguir trabalhar com prazer.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), André Friedheim, o investimento em franquia deve ser pesquisado com uma atenção maior em pelos menos três opções, e assim é preciso avaliar qual a opção que está mais adequada ao perfil do empreendedor nos negócios.

O recomendável é ter disponível pelo menos 50% a mais do investimento guardado para garantir despesas pessoais e imprevistos até que se chegue no ponto de equilíbrio. Quem optar pelo home-based, conhecido também como home office precisa ter um perfil adequado ao trabalho. Na área de vendas, a maior parte do suporte poderá ser feito sozinho, na área de redação, a parte financeira também ficará a cargo do empreendedor.

Uma tarefa essencial é ler com bastante atenção a Circular de Oferta de Franquia (COF). Lá estão todas as instruções indispensáveis que o empreendedor precisa ter em mãos. Conferir também a documentação jurídica é outro ponto a ser considerado, assim como ter contato com os outros franqueadores para estudar melhor o mercado.

É preciso ter cautela com algumas franquias baratas, pois na prática pode acontecer do franqueador apenas se tornar um vendedor de produtos e ainda pagando altas taxas.

A Quisto Corretora de Seguros tem disponível 90 opções de seguros, entre eles estão automotivo, viagem, pessoal, equipamentos, entre outros. Existem mais de 30 franqueados com a empresa em SP, ES, MG e RJ. As cidades ideais para essas franquias são as que possuem mais de 50 mil habitantes.

O empreendedor pode optar pela loja física ou pelo home office. A comissão para o franqueado atinge até 85% do valor do contrato. No home office o investimento inicial é de R$ 11.990,00 (inclui capital de giro e taxa de franquia), para a loja o valor necessário é de R$ 25.990,00, incluindo taxa de instalação, de franquia e capital de giro.

Novo navio da Carnival irá possuir uma montanha-russa a bordo

O novo modelo de navio Mardi Gras da companhia norte-americana Carnival Cruise Lin irá oferecer algo jamais visto em nenhum outro cruzeiros do planeta, uma montanha-russa de grande porte em alto-mar.

De acordo com notícias divulgadas pela imprensa dos Estados Unidos, essa montanha-russa terá assentos no formato de motocicletas, as quais terão capacidade para comportar até quatro pessoas. A estimativa é de a velocidade do brinquedo seja de 65 quilômetros por hora e ele alcance uma altura de até 19 andares em relação ao nível do mar.

Atualmente, as principais companhias internacionais que operam cruzeiros, além de estarem ampliando suas frotas de forma jamais vista, também estão em uma verdadeira corrida contra o tempo, com o objetivo de oferecer atrações e opções de entretenimento cada vez mais espetaculares, para assim atrair mais clientes.

Segundo um comunicado da própria empresa, a norueguesa Royal Caribbean Cruises por exemplo, instalou a pouco tempo o escorregador mais alto do mundo em seu novo navio, o Symphony of the Seas. A companhia Norwegian Cruise Line, por sua vez, inaugurou recentemente uma pista de kart de dois andares em seu navio Bliss.

No caso do Mardi Gras, que tem previsão para zarpar em 2020, o mesmo foi nomeado em homenagem ao primeiro navio da empresa, construído no ano de 1972. Este se tornará o maior navio da história da Carnival, com um peso total de 180 mil toneladas, cerca de seis vezes mais amplo do que o original da década de 70.

A estrutura majestosa do navio é essencial para que seja possível incluir uma montanha-russa dentro dele, de acordo com a própria presidente da empresa, Christine Duffy. Na atual frota da Carnival, já existem navios que possuem parques aquáticos e um serviço de entrega de pizzas dentro das cabines dos hóspedes que funciona 24 horas ao dia.

Em resposta a tanta inovações, a presidente destacou em uma entrevista que o objetivo da empresa é oferecer novidades em todos os seus navios. Além disso, o Mardi Gras irá funcionar com gás natural liquefeito, seguindo um importante tendência global de tornar os navios de grande porte mais sustentáveis.

A mentalidade empreendedora de empreendedores de sucesso

Os empresários são todos diferentes, buscam movimentar a economia. Todos eles têm uma mentalidade empreendedora diferente que contribui para o sucesso deles. Sua mentalidade empreendedora pode ter a ver com sua personalidade ou até mesmo com o campo em que eles passaram a trabalhar.

Ao descobrir sua própria abordagem para os desafios do empreendedorismo, pode ajudar a aprender com as experiências dos outros.

Selecionamos as experiências e a mentalidade empreendedora de empreendedores conhecidos de uma variedade de campos diferentes. É nossa esperança que você encontre algo em cada uma de suas histórias que o ajudem em suas próprias aventuras empresariais.

Estenda a mão aos clientes primeiro. Embora possa parecer a muitos como o desenvolvimento de produtos deve vir em primeiro lugar, mestre bootstrapper Greg Gianforte insiste que é a abordagem errada. Depois de se mudar para Montana com sua esposa e filhos depois de vender uma empresa anterior, Gianforte ficou inquieto e decidiu começar de novo.

Ele se concentrou no setor de tecnologia, onde sua experiência foi mais forte. Mas, em vez de começar com um protótipo de um produto ou serviço e depois buscar financiamento, ele começou a falar com clientes em potencial. Isso levou a conversas sobre que tipo de produto eles comprariam.

Depois de um mês de telefonemas, Gianforte passou cerca de 60 dias codificando o produto que seus clientes disseram querer. Ele alega que sua empresa, RightNow Technologies, era positiva em dinheiro desde o começo.

A empresa fabrica software baseado em nuvem para grandes empresas consumidoras e foi vendida para a Oracle em 2011.

Encontre um novo mercado para um produto existente.

Peregudov, por exemplo, transformou as tradicionais cestas de presente em um negócio lucrativo de comércio eletrônico com entrega em mais de 200 países em todo o mundo.

Sam Phillips, fundador da Sun Records, não inventou o Rock ‘n Roll, mas seu pequeno selo Memphis estará para sempre ligado ao seu começo.

Phillips estabeleceu seu estúdio de gravação e, eventualmente, sua gravadora, como uma forma de capturar a interação de country e blues com a qual ele já estava familiarizado como DJ. Havia uma riqueza de talentos que ele acreditava que a maior parte do país não conhecia e nunca ouvira. Ele criou um ambiente de estúdio descontraído com uma acústica única para capturar e imortalizar esse talento.

Phillips acabaria por descobrir estrelas como Elvis, Jerry Lee Lewis, Carl Perkins e Johnny Cash e ele se tornou um ícone e um empreendedor rico como resultado.

Saiba mais sobre a lei que proibirá a venda de filhotes de animais domésticos

Uma nova lei tem chamado a atenção do mundo inteiro, sobretudo dos protetores dos animais. Trata-se da proibição de comercialização de cachorro e gatos quando filhotes. Embora a redação da legislação tenha agradado muitas pessoas, vale ressaltar que ela é válida somente em território britânico. De acordo com representantes do governo da Grã-Bretanha, a nova norma passará a valer já em 2019.

Com isso, espera-se que os interessados em possuir um desses animais entrem em contato diretamente com criadores que desejem efetuar doações. São considerados filhotes os animais com até seis meses de vida. As notícias acerca dos esclarecimentos referentes à nova lei foram divulgadas através de um representante do Ministério de Meio Ambiente britânico. Lá o órgão é mais conhecido pela sigla “DEFRA”, em uma alusão a todas as vertentes contempladas pela instituição.

Segundo o governo local, a criação da lei surge com o intuito de se evitar com que locais destinados a criações aumentem no país. Conhecidos como fazendas de criação de gatos e cachorros para venda, estes ambientes são administrados sem que haja preocupação com o bem-estar dos animais. Dessa maneira, governantes declararam que esses filhotes costumam ser criados em condições degradantes, daí a importância da nova legislação.

Para David Rutley, responsável pelo gerenciamento da área de bem-estar animal presente no DEFRA, a lei em questão atua como o começo de uma forma de garantia que os animais sejam bem tratados desde o início de suas vidas.

Para que a lei fosse de fato aprovada, houve uma consulta de natureza pública, a fim de se conhecer o que a população pensava sobre o assunto. Os governantes mostraram-se surpresos com o resultado obtido, uma vez que quase a totalidade das pessoas demonstraram-se favoráveis à proibição expressa no documento.

A aprovação da lei foi comemorada com veemência por membros de organizações que se destinam a proteger animais, como por exemplo, a Battersea Dogs e Cats Home. A entidade em questão resgata cachorros e gatos que vivem nas ruas do Reino Unido. Além disso, a Pup Aid, que luta contra as fazendas de criação, também mostrou satisfação com a notícia.

 

Saiba mais:

https://www.terra.com.br/noticias/reino-unido-vai-proibir-venda-de-filhotes-em-pet-shops,4d4c75af406ad780f413cea0880c09a7df5cldmh.html

Nova projeção do VBP da agropecuária em 2019 tem elevação de quase 2%

O Ministério da Agricultura informou no dia 25 de dezembro de 2018 que o VBP (Valor Bruto da Produção) do setor agropecuária do país poderá chegar a um total de R$ 584,6 bilhões em 2019. Essa nova previsão lançada pelo ministério é 1,9% maior do que a previsão anterior divulgada em outras notícias.

De acordo com os dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a estimativa é de que o Brasil tenha uma colheita de 238,4 milhões de toneladas em relação aos grãos e oleaginosas produzidos na safra 2018/19. Essa é a safra que mais teve influência das condições climáticas, considerando que o período de chuvas proporcionou ótimas condições para o plantio dos grãos e das oleaginosas.

O ministério ainda informou que o VBP deste ano registrado até o mês de novembro conta com uma redução de 1,9% em relação ao ano anterior. Sendo assim, a pasta estima que o ano fechará com o registro de R$ 573,87 bilhões de valor bruto de produção no setor de agropecuária.

Segundo José Garcia Gasques, que é o atual coordenador-geral da Secretaria de Política Agrícola no setor de Estudos e Análises, os dados poderão ser alterados novamente. “Provavelmente haverá uma nova mudança nas projeções, mas podemos concluir que esta safra já está praticamente finalizada”, ressalta José Garcia Gasques.

Neste ano, o VBP observado até o momento foi sustentado por alguns itens produzidos, sendo eles: trigo, que teve uma alta de 73%, algodão com alta de 47%, cacau com alta de 34,9%, soja com alta de 12,5% e por fim o café, que teve uma alta de 10,2% em comparação com o VBP do ano de 2017. Todos esses itens produzidos no país contaram com o benefício do aumento dos preços, o que proporcionou um maior VBP para este ano.

O ministério ainda informou que a produção nacional de cana, soja, algodão, milho e café contabilizam 80% do valor bruto de produção da agropecuária deste ano. A soja é o produto que mais gerou VBP neste ano, sendo um total de R$ 143,5 bilhões arrecadados com a venda do grão. Tudo isso ainda contribui para que a atividade agrícola deste ano arrecade R$ 388,1 bilhões até o término do ano. Já o setor de pecuária conta com uma projeção de R$ 185,8 bilhões.